Conheça o primeiro colocado no Centelha MS

O Programa Centelha MS selecionou as 28 melhores ideias inovadoras do estado, cada uma delas receberá até 60 mil reais em recursos do Governo do Estado (por meio da Fundect) e Ministério de Ciência e Tecnologia (por meio da Finep) para transformar esta centelha inovadora em um negócio de sucesso.

Em Mato Grosso do Sul, o primeiro colocado dentre os 28 aprovados foi o projeto de construções sustentáveis do arquiteto e urbanista Juliano Thomé, proprietário da empresa D-MODULO, de Campo Grande.

O projeto consiste em um jeito mais simples de construir. De acordo com o arquiteto, a ideia é que o cliente acesse o site e/ou aplicativo da empresa para escolher alguns parâmetros da sua construção. Em seguida, este cliente recebe uma estimativa de custo e tempo de entrega e, uma vez fechada a venda, a empresa realizará o planejamento e fabricação das peças. As construções serão realizadas com módulos feitos de materiais sustentáveis como a madeira. A empresa poderá levar as peças e montá-las no terreno do cliente ou então disponibilizar tutoriais para aqueles que desejarem montar por conta própria.

Segundo o arquiteto, a expectativa é a de que o projeto garanta mais do que uma construção ambientalmente amigável, mas que ela também seja mais barata e mais simples de fazer.

O jovem empreendedor vê no Programa Centelha uma oportunidade fundamental para ideias embrionárias ganharem força e modificarem o dia a dia das pessoas. “Um projeto como este demanda tempo para pesquisa, para testes, para avaliação de materiais. Portanto, os recursos do Centelha serão fundamentais para tirar essa ideia do papel e proporcionar às pessoas uma forma alternativa de construir no Brasil”, finaliza.

A equipe da empresa D-MODULO, que começa a dar vida ao projeto nos próximos meses, é formada por um grupo jovem de várias áreas como Arquitetura, Design, Engenharia, Programação, Comunicação e Mercado. Nesta fase inicial, eles estão realizando uma pesquisa de mercado, que você pode participar pelo link: https://forms.gle/pStDHK2bveSfjJJE8

FONTE: Jackline Fermau – FUNDECT

28 ideias de MS são contempladas pelo Programa Centelha

Em julho de 2019, a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de MS (Fundect) em parceria com a FINEP (Financiadora de Projetos do Ministério de Ciência, Tecnologia e Comunicação) lançou o Programa Centelha em Mato Grosso do Sul, com o objetivo de selecionar ideias inovadoras de startups e empresas iniciantes no Estado.

Após o término do prazo de inscrições, 564 novas ideias foram submetidas à avaliação dos consultores da Finep. Estas ideias partiram de jovens empreendedores de 34 municípios do Estado, sendo: 359 da região centro norte, seguida pela região sudoeste (118), pantanal (51) e leste (36).

Após três etapas de avaliações, finalmente foi publicado no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul desta quinta-feira (13) a lista com as 28 ideias vencedoras, que receberão cada uma, até 60 mil reais para transformar sua ideia inovadora em um negócio de sucesso.

Entre as vencedoras estão startups de Campo Grande, Dourados, Bonito e Sidrolândia. As ideias trabalham com as áreas de: Biotecnologia e Genética, Design, Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Tecnologia Social, Manufatura Avançada e Robótica, Nanotecnologia, Geoengenharia e Realidade Virtual.

Para conferir a lista com os vencedores basta clicar AQUI.

De acordo com a diretora-científica da Fundect, e gestora do Programa Centelha em Mato Grosso do Sul, Profª Edna Scremin Dias, o Centelha é apenas o primeiro passo de um longo trabalho de popularização e envolvimento da sociedade com ações de empreendedorismo e inovação.

“Durante os últimos meses, estivemos presentes nas 4 regiões de Mato Grosso do Sul reunidos com prefeituras, associações comerciais, universidades, institutos federais e incubadoras. Com isto promovemos uma troca de experiências com diversos atores da ciência, tecnologia e inovação do Estado. A divulgação do Centelha foi uma ótima oportunidade para reunir e fortalecer os agentes de nosso ecossistema de inovação. Agora com o resultado final das 28 ideias selecionadas poderemos conferir de perto a forma como esses recursos irão contribuir de sobremaneira para a transformação desses projetos em negócios inovadores. É o Mato Grosso do Sul investindo em Inovação”, afirmou a diretora.

Estatísticas dos Projetos Aprovados:

FONTE: FUNDECT

Programa Centelha MS registra o número de 204 ideias aprovadas na Fase 1

Com as inscrições encerradas em setembro deste ano, o Programa Centelha MS, executado pela FUNDECT, divulgou a lista final de aprovados na Fase 1 do programa. Para a fase 2, foram aprovadas 204 ideias inovadoras, sendo elas provenientes de 26 municípios sul-mato-grossenses. Ao todo, o Centelha MS contabilizou 564 ideias inovadoras na fase de submissão, as mesmas submetidas por 831 participantes e originárias de 34 municípios.

Programa Centelha é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), operado pela Fundação CERTI e executado no Mato Grosso do Sul pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (FUNDECT).

De acordo com os dados do Programa Centelha, os seguintes municípios propuseram ideias aprovadas para a Fase 2 do Centelha MS: Campo Grande, Dourados, Corumbá, São Gabriel do Oeste. Rio Verde de Mato Grosso, Aquidauana, Coxim, Itaquiraí, Miranda, Bonito, Naviraí, Nova Andradina, Ivinhema, Caarapó, Amambai, Três Lagoas, Batayporã, Rio Brilhante, Aparecida do Taboado, Itaporã, Mundo Novo, Sidrolândia, Chapadão do Sul e Ladário.

Segundo o diretor-presidente da Fundect, Prof. Márcio de Araújo Pereira, o número de ideias submetidas em Mato Grosso do Sul vem para provar a vocação empreendedora do Estado.

Na terceira etapa, 100 propostas continuam na disputa, e na fase final, as 28 ideias vencedoras receberão até 60 mil reais em subvenção econômica cada uma, além de todos os processos de acompanhamento e capacitações oferecidas pelo Programa Centelha.

FONTE: FUNDECT

Programa Centelha MS registra o número de 564 ideias inovadoras inscritas

Lançado em julho deste ano, o MS, executado pela FUNDECT/MS, teve suas inscrições encerradas no dia 24 de setembro (terça-feira), com um elevado número de participantes e uma série de ideias inovadoras cadastradas. Ao todo, o programa teve 831 participantes cadastrados no sistema, 227 ideias iniciadas e 564 projetos submetidos.

As mesorregiões com mais projetos apresentados foram: Centro-Norte de Mato Grosso do Sul (359 ideias), Sudoeste de Mato Grosso do Sul (118), Pantanais Sul-Mato-Grossenses (51) e Leste de Mato Grosso do Sul (36). “Durante os últimos meses, estivemos presentes nas 4 regiões de Mato Grosso do Sul reunidos com prefeituras, associações comerciais, universidades, institutos federais e incubadoras. Com isto promovemos uma troca de experiências com diversos atores da ciência, tecnologia e inovação do Estado. A divulgação do Centelha foi uma ótima oportunidade para reunir a fortalecer os agentes de nosso ecossistema de inovação”, afirmou a diretora-científica da Fundect, e gestora do Programa Centelha MS, Profª Edna Scremin Dias.

Segundo o diretor-presidente da Fundect, Prof. Márcio de Araújo Pereira, o número de ideias submetidas em Mato Grosso do Sul vem para provar a vocação empreendedora do estado: “Até o momento, levando-se em consideração o número de ideias submetidas a cada 100 mil habitantes, Mato Grosso do Sul é o segundo estado com maior participação no Centelha.” Ainda, o secretário de estado de meio ambiente, desenvolvimento econômico, produção e agricultura familiar (Semagro), Jaime Verruck, ressaltou que o Centelha MS foi idealizado diante de um novo foco para a ciência e tecnologia no Brasil, menos preocupado com o processo e mais interessado no resultado final.

Algumas temáticas obtiveram mais projetos inscritos como: Tecnologia Social (36,9%), Automação (9,2%), TI e Telecomunicações (8,7%), Biotecnologia e Genética (7,8%), Inteligência Artificial e Machine (6,2%), Internet das Coisas (IoT) (5%) e Eletroeletrônica (4,4%). Além destes, outros temas foram abordados pelos participantes como: Big Data, Design, Química e Novos Materiais, Geoengenharia, Manufatura Avançada e Robótica, Nanotecnologia, Realidade Aumentada, Realidade Virtual.

FONTE: FUNDECT

Confira essa e outras estatísticas no infográfico abaixo.