O potencial inovador da Região Norte

A Região Norte do país  possui um grande potencial inovador. A pesquisa de inovação (PINTEC) realizada pelo IBGE mostrou que em 2014 a região gerou mais de R$119 milhões em produtos e processos que continham algum nível de inovação.. Segundo a pesquisa, 1.493 empresas da região investiram mais de R$2 milhões para produção de novos produtos ou atividades internas de pesquisa e desenvolvimento. Nos últimos anos, a Região Norte do país se mostrou um grande polo de inovação no campo ambiental com a criação de produtos inovadores, como o cafessaí, (produto vindo de um dos projetos aprovados na 1° edição do Programa Centelha) que se trata do caroço do açaí beneficiado, torrado e moído. Seu propósito é agregar valor à gastronomia local, nacional e internacional de forma sustentável.

 

Inovação ambiental

 

O conjunto de inovação em nível organizacional que visa desenvolver benefícios e soluções para o meio ambiente se chama “inovação ambiental”, dentro deste, há busca por mudanças, novidades criativas e técnicas na redução dos impactos ambientais.

Dentro da inovação ambiental podemos citar a agricultura sintrópica, por exemplo, que se trata de um sistema de cultivo agroflorestal baseado no conceito de sintropia, caracterizado pela organização, integração, equilíbrio e preservação de energia no ambiente. A Região Norte tem inovado fortemente nesse ramo, levando em consideração que detém a maior floresta do mundo, que hoje necessita de preservação. O desmatamento da floresta amazônica já ultrapassou 17% do bioma, cerca de 729 mil km². A agricultura sintrópica veio para amenizar os efeitos do desmatamento. Seu principal propósito é cultivar alimentos, preocupando-se com o meio ambiente, ou seja, com a não devastação e com a preservação das características naturais da região. Essa prática utiliza apenas o que o meio ambiente pode oferecer, inclusive, os agricultores recebem a orientação de não irrigar suas plantações, pois de acordo com o suiço criador do termo, Ernst Götsch, o equilíbrio será atingido de maneira natural. 

 

Ecossistema de inovação 

 

Um ecossistema de inovação é formado pela colaboração de diversos agentes como aceleradoras, startups, fundos de venture capital, parques tecnológicos, grandes empresas de tecnologia, associações, governo e universidades que trabalham com o mesmo propósito. O maior ecossistema do Brasil está localizado na Região Norte. A região não possui apenas a maior floresta tropical do mundo. O local fornece recursos abundantes para o Estado, e assim foram desenvolvidos o Polo Industrial e a Zona Franca, em Manaus, que colocam a capital amazonense entre as 10 mais prósperas do Brasil e fertilizam o terreno para que o ecossistema de inovação da região cresça cada vez mais. A maior extensão territorial do Brasil, tem desenvolvido muito seu ecossistema nos últimos anos. Segundo levantamento recente da AbStartups, atualmente são 229 startups mapeadas na região e elas representam 2,5% das startups do país. 

Para saber mais sobre ecossistemas de inovação e suas vertentes, acesse o site do SEBRAE e dê uma olhada na live preparada pela equipe. 

 

Programa Centelha na Região Norte

 

Em sua primeira edição, o Programa Centelha recebeu na Região Norte mais de 1440 ideias inovadoras, entre elas, 35 empresas foram aprovadas, com focos em diversos campos de inovação tecnológica, sendo: ambiental, eletrônica, engenharia entre outros. 

A segunda edição do programa visa evidenciar ainda mais o potencial inovador da Região Norte, aumentando o número de inscritos e de aprovados, assim estimulando o empreendedorismo regional e a integração dos cidadãos com os empreendedores.

Se você tem alguma ideia ou projeto inovador e está sem apoio para começar, O Programa Centelha pode ser o berço para o crescimento da sua ideia! O programa oferece recursos financeiros, bolsas de apoio tecnológico, capacitação e suporte e acesso a comunidade de empreendedores, investidores e mentores para ampliar seu networking. 

Confira no site do Programa Centelha quais estados da Região Norte estão com inscrições abertas e submeta a sua ideia!

Lume Robotics recebe aporte de R$ 2,4 milhões

Startup capixaba que tem avançada solução de veículos autônomos no país, aplicável a diversos modelos, a Lume Robotics acaba de concluir uma rodada de investimentos no valor de R$ 2,4 milhões. Deste montante, R$ 1 milhão foi aportado pela Seed4Science, fundo capital semente para empresas de base tecnológica, e R$ 1,4 milhão pela VIX Logística, empresa de logística.

Com expertise em inteligência artificial, visão computacional e robótica autônoma, a Lume Robotics irá utilizar o valor captado para investir em tecnologia, focando na finalização do produto, na infraestrutura da empresa e no desenvolvimento da equipe. Com faturamento de quase R$ 1 milhão em 2021, a expectativa é chegar aos R$ 4 milhões em 2022.

Com clientes no portfólio como Petrobras e Vale, a Lume Robotics lançou o primeiro carro elétrico autônomo do Brasil para uso comercial em janeiro de 2020, trazendo um ganho enorme para a área. Atualmente, a empresa está com um projeto de veículo autônomo de 16 eixos, da Kirow, para transporte de gusa líquido, sem operador, na Siderúrgica Ternium Brasil, e de uma carreta autônoma para transporte em áreas portuárias.

Fundada em 2019, a startup passou pelo processo de aceleração do Programa Centelha 1, realizado em 2020, uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação CERTI. No Espírito Santo, o programa é executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES).

De acordo com Rânik Guidolini, CEO da Lume Robotics, a participação no programa foi fundamental para o amadurecimento e crescimento da startup porque, além do recurso financeiro, trouxe uma grande rede de contatos, consolidação da empresa e também estruturação e conhecimento dos editais de fomentos.

“Ter um projeto apoiado pelo Centelha é um grande marco para as empresas, uma vez que o investimento no ramo da tecnologia é muito alto e poucas pessoas têm acesso a criar tais empreendimentos. O programa é a migração de um sonho para a realidade”, acrescenta Guidolini.

“Depoimentos como esse são fundamentais para servir de exemplo e para que outros empreendedores possam se sentir confortáveis em um cenário com disponibilização de recurso para suas ideias se tornarem realidade”, comenta Marcelo Nicolas Camargo, superintendente da área de pesquisa aplicada e desenvolvimento da Finep. “Precisamos mostrar ao Brasil a importância de um programa de empreendedorismo inovador como o Centelha. É a possibilidade de jovens empreendedores, de empresas de base tecnológica, poderem se lançar no mercado”, conclui Camargo.

Conheça mais sobre a Lume clicando aqui!

Via IstoÉ

Sebrae abre inscrições para Startup Summit 2022

Quinta edição do evento anual do Sebrae será novamente presencial e terá 90 palestrantes, 7 palcos e feira de negócios com 120 startup

O Startup Summit 2022 está com inscrições abertas para sua quinta edição. Neste ano, o evento realizado pelo Sebrae em parceria com a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), será novamente presencial e ocorrerá no CentroSul, na capital catarinense, nos dias 04 e 05 de agosto. O lançamento oficial e início das vendas de ingressos acontecerá no dia 19 de abril, a partir das 9h00.

Nesta edição, o Startup Summit terá 7 palcos e 14 trilhas de conteúdo, que abordam assuntos estratégicos para empreendedores de startups e empresas de alto crescimento, como marketing e vendas, growth, hardware, corporate, investimentos, M&A, cultura e talentos, tecnologia e produto, tendências, entre outros. São previstos mais de 4.000 participantes no evento.  “A quinta edição do evento, sendo a quarta presencial, consolida o Startup Summit como um dos principais eventos nacionais do calendário de empreendedores, investidores e gestores de grandes empresas e agentes da inovação no país”, destaca Luc Pinheiro, Diretor técnico do Sebrae de Santa Catarina.

Outra novidade é um espaço reservado para o programa Capital Empreendedor, do Sebrae, que visa preparar e educar empreendedores e sócios de startups inovadoras para captar recursos e aprimorar seus modelos de negócios. Nele, será possível conectar empreendedores e investidores, fazendo com que o investimento chegue de forma mais rápida às startups.

Serão mais de 90 palestrantes nacionais e internacionais, entre os nomes já confirmados estão Chris Yeh, co-autor do livro Blitzscaling, best-seller do universo das startups,  CEO’s de unicórnios como Florian Hagenbuch (Loft), João Del Valle (Eban), Mônica Hauck (Sólides) e Marcelo Lombardo (Omie).  Além da área de conteúdo, o Startup Summit terá uma feira de negócios com mais de 50 expositores e 120 startups de diferentes estágios de desenvolvimento, desde a fase inicial a marcas consolidadas no mercado.

Além do Sebrae, a ACATE é novamente uma das realizadoras do evento. “Florianópolis e Santa Catarina consolidaram-se como um dos ecossistemas de inovação mais maduros e completos do país nos últimos anos, e eventos como o Startup Summit contribuem diretamente para reforçar nossa posição”, destaca Iomani Engelmann, presidente da entidade catarinense. A Grande Florianópolis reúne 5,8 mil empresas de tecnologia e emprega mais de 31,4 mil colaboradores. É a capital brasileira com maior densidade de startups por habitantes do país.

Neste ano, a ACIF, entidade que reúne os empresários de todos os setores econômicos da capital catarinense, passa a ser realizadora do evento também. O Startup Summit integra a agenda do movimento Floripa Conecta, que reúne diversas iniciativas e eventos ao longo do mês de Agosto na capital catarinense.

Serviço:

O quê: Startup Summit 2022

Quando: 04 e 05 de agosto

Onde: CentroSul, Centro de Convenções de Florianópolis, Av. Gov. Gustavo Richard, 850 – Centro, Florianópolis e no site

Ingressos: www.startupsummit.com.br

Via Dialetto

200 ideias são selecionadas para nova fase do Programa Centelha Alagoas

Das 474 ideias inovadoras submetidas, 200 foram aprovadas para a segunda fase

Na última terça-feira, 05/02, a FAPEAL divulgou a lista final com as 200 ideias aprovadas para a segunda fase do Centelha Alagoas 2, programa de incentivo ao empreendedorismo inovador promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e Fundação CERTI e, em Alagoas, executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL).

A segunda edição do Centelha Alagoas recebeu 474 propostas de negócio na primeira fase, envolvendo mais de 1,3 mil integrantes das equipes.

Ideias Aprovadas

Das 200 ideias inovadoras selecionadas, 78 foram submetidas por proponentes sem vínculo declarado a uma instituição. Estudantes, professores e pesquisadores vinculados a instituições de ensino foram responsáveis pela submissão de 68 das ideias aprovadas. Vinte e oito ideias aprovadas foram submetidas por pessoas vinculadas à administração pública; 21 por proponentes oriundos de empresas de pequeno, médio e grande porte e cinco por proponentes ligados a aceleradoras e incubadoras.

Do total das aprovadas, 28,5% das soluções apresentadas se aplicam ao setor de Tecnologia Social; o setor de de T.I. e Telecom ficou na segunda posição com 12,5% seguido do setor de Inteligência Artificial e Machine Learning com 11%. Em destaque estão ainda os setores de Biotecnologia & Genética e Química & Novos Materiais, ambos com 7,5% do total das ideias aprovadas.

Quanto à distribuição geográfica dos proponentes selecionados, a mesorregião com o maior número de propostas foi o Leste Alagoano com 173 ideias, seguido pelo Agreste Alagoano com 23 ideias e o Sertão Alagoano com 4 ideias. As propostas aprovadas são oriundas de 24 municípios, as cidades com maior número de ideias foram Maceió (153) e Arapiraca (14), ocupando a primeira e a segunda posição respectivamente. Em terceiro lugar estão Marechal Deodoro e Palmeira dos Índios, ambas com 4 ideias aprovadas cada.

Dentre os empreendedores que submeteram os projetos selecionados, mais da metade, 56% já possui ou está cursando uma pós-graduação; 38% estão cursando o ensino superior ou já são formados e 6% possuem ensino médio ou técnico.

Agora os proponentes das 200 ideias terão até o dia 19/04, para submeter o Projeto de Empreendimento, que será avaliado por dois especialistas, assim como na primeira fase.

Na quarta-feira, 13/04 às 10 horas, foi realizado um Webinar online para sanar as dúvidas dos aprovados quanto à próxima fase do programa. O evento foi transmitido no canal do YouTube da FAPEAL e contou com pico de 36 participantes simultâneos. Na ocasião, representaram a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas as Assessoras de Projetos Especiais e Inovação, Juliana Basílio Khalili, Pollyanna Karine da Silva Martins e Mariana Fernandes Jucá, responsáveis pela coordenação e execução do Programa Centelha AL.

 

Como funciona

O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores, a partir da geração de novas ideias, e disseminar a cultura do empreendedorismo inovador em todo território nacional, incentivando a mobilização e a articulação institucional dos atores nos ecossistemas locais, estaduais e regionais de inovação do país.

No endereço eletrônico http://www.programacentelha.com.br/al/, é possível obter mais informações sobre o programa e seu edital detalhado em todos os estados.

 

Próximos Passos

Na segunda fase os 200 proponentes que foram selecionadas deverão, então, elaborar um projeto de empreendimento, detalhando o plano de negócio executivo com o objetivo de demonstrar as chances da ideia gerar um bom negócio.

A terceira fase – pela qual passam até 100 das propostas ainda em jogo – consiste no desenvolvimento de um projeto de fomento, com apresentação detalhada do orçamento e do planejamento de execução do projeto. Ao longo de todas as etapas são oferecidas capacitações para auxiliar o empreendedor a aprimorar sua ideia e desenvolver seu negócio.

Ao final, até 28 projetos serão contemplados, cada um com R$ 53,3 mil em subvenção econômica, R$ 26 mil por projeto em bolsa de Fomento Tecnológico e Extensão Inovadora, além de outros benefícios oferecidos por parceiros do programa. Ainda, durante seis meses, essas empresas passarão por um processo de pré-incubação com suporte e capacitação para transformar suas ideias em negócios de sucesso.

O Programa Centelha contribuirá para o estabelecimento da ponte entre academia e indústria no Alagoas de forma a transformar ideias inovadoras em empreendimentos que incorporem novas tecnologias aos setores econômicos estratégicos do estado, já que muitas das ideias vêm de pessoas ainda na universidade, tanto de cursos de graduação como de pós-graduação.

Além disso, o Centelha abre espaço para participação de todos os cidadãos do estado, tanto para inscrever suas ideias como para interagir com os empreendedores e consolida uma forte rede de apoio ao empreendedorismo inovador.

200 ideias são selecionadas para Segunda Fase do Programa Centelha Distrito Federal

Das 331 ideias inovadoras submetidas, 200 foram aprovadas para a segunda fase Na última terça-feira, 05/03, a BIOTIC S/A divulgou a lista final com as 200 ideias aprovadas para a segunda fase do Centelha Distrito Federal, programa de incentivo ao empreendedorismo inovador. A iniciativa é promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e […]

Programa Centelha 2 selecionará 50 projetos de empreendedorismo no Paraná

Iniciativa oferecerá até R$ 60 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico

Fomentar o empreendedorismo inovador e estimular a criação de novos projetos é o principal objetivo do Programa Centelha 2, que acaba de abrir inscrições no Paraná. A iniciativa oferecerá recursos financeiros, capacitação e suporte para até 50 selecionados, que receberão até R$ 60 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico. As inscrições seguirão abertas até o dia 27/05/2022.

O programa é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e Fundação CERTI e, no Paraná, é executado pela Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FAPPR).

Vitor Tioqueta, Diretor Superintendente do Sebrae do Paraná, ressalta a importância do programa e de suas parcerias. “Resultados importantes dos últimos anos que trazem grandes oportunidades de inovação no Paraná e o Programa Centelha 2 vem em um momento muito forte para disseminar a cultura empreendedora. No Paraná irá gerar cada vez mais oportunidades de negócios”, destaca.

Em sua primeira edição, o Programa Centelha contou com mais de 15 mil ideias submetidas nacionalmente e mais de mil municípios envolvidos. Somente no Estado do Paraná foram mais de 2.128 empreendedores capacitados, 801 ideias submetidas e 29 startups apoiadas. Neste ano, o Programa Centelha 2 acontecerá em 25 Estados e no Distrito Federal.

Para mais informações sobre o edital, o cronograma e todas as informações para submissão, confira: https://programacentelha.com.br/pr/

 

Via Oliver Press

Programa Centelha 2 abre inscrições no Rio Grande do Norte

Interessados têm até o dia 02 de maio para se inscrever;  iniciativa oferecerá recursos financeiros, capacitação e suporte para até 25 projetos selecionados

Com o principal objetivo de estimular o empreendedorismo no Brasil, além de incentivar a inovação, o Programa Centelha 2 acaba de abrir inscrições no Rio Grande do Norte. A iniciativa oferecerá recursos financeiros, capacitação e suporte para até 25 selecionados, que receberão até R$ 53 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico. As inscrições seguirão abertas até às 18h do dia 02 de maio de 2022.

Promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e Fundação CERTI e, no Rio Grande do Norte,  o programa é executada pela Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte (SEBRAE).

Em sua primeira edição, o Programa Centelha contou com mais de 15 mil ideias submetidas nacionalmente e mais de mil municípios envolvidos. No Rio Grande do Norte foram 536 ideias submetidas, 1.440 empreendedores capacitados e 15 startups apoiadas. A segunda edição acontecerá em 25 Estados e no Distrito Federal.

Para mais informações sobre o edital, o cronograma e todas as informações para submissão, confira https://programacentelha.com.br/rn/.

 

Via Oliver Press

Dia internacional da educação: Desafios, caminhos e oportunidades

Neste dia, 24 de janeiro, as Nações Unidas (ONU) marcam o Dia Internacional da Educação. Em mensagem, o secretário-geral da ONU, Antônio Guterres, pede que a instrução seja vista como um bem público e uma prioridade política para a recuperação na sequência da crise global de saúde.

Confira o Pronunciamento do Secretário-geral da ONU

Estima-se que 258 milhões de jovens em todo o mundo não tenham a oportunidade de ingressar ou concluir a escola. Outros 617 milhões não sabem ler e fazer cálculos básicos. Sem contar os diversos desafios, seja na infraestrutura, na formação dos profissionais de educação, nas diferentes realidades socioculturais, inovar na educação é de suma importância. Sem educação não haverá outras inovações no futuro, sendo a base para o desenvolvimento humano e para a ciência.

Sabendo da importância desse dia, o programa Centelha convidou algumas empresas que foram aprovadas em sua primeira edição para entender melhor os desafios da inovação no setor e sobre o futuro da educação!

Participaram dessa conversa:

Sapientia (PB), um aplicativo gratuito de monitoramento do desempenho qualitativo que se utiliza de elementos de gamificação para engajar os alunos;

Ludbel Educar (AP), que disponibiliza ferramentas que exploram a área de ciências da natureza de forma dinâmica e mais consistente na educação básica;

Lume Studio Design (AM), que desenvolveram a ferramenta Cards Mágicos abcD+, para auxiliar na alfabetização de crianças de 5 a 7 anos; e

Cuboteca (SC), um ambiente de simulação imersivo e interativo para letramento de crianças surdas usando realidade virtual e dispositivos de interfaces naturais.

 

Panorama da educação

 

“Estamos vivendo um momento difícil, em que muitos alunos passaram meses sem contato com as atividades escolares. Notícias nos mostram que nosso país está entre a minoria do mundo, que não aumentaram os recurso em educação durante a pandemia. Precisamos, urgentemente, reverter esse quadro, para que as crianças tenham acesso a novas ferramentas tecnológicas de auxílio a alfabetização e ao letramento.”

(Lume Design)

 

Pelos dados do relatório Education Policy Outlook Brasil, elaborado pela OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), foi identificado a presença de professores altamente qualificados e engajados como algo imprescindível para a melhora dos indicadores educacionais. Para os países da OCDE, essas iniciativas são capazes de tornar a carreira docente mais atrativa e de melhorar as qualificações e oportunidades para desenvolvimento desses profissionais. A análise comparativa internacional mostra que no Brasil o desafio é ainda maior uma vez que, segundo dados de 2018 examinados pelo estudo, apenas 43% dos professores dos anos finais do ensino fundamental no Brasil tinham contratos de tempo integral e 20% trabalhavam em várias escolas.

Segundo Dados recentes do relatório do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), cerca de 30% dos alunos menos favorecidos no Brasil, bem como aqueles que frequentam escolas rurais, relataram ter acesso a um computador em casa para os trabalhos escolares. Esse número entre os alunos favorecidos ou que frequentam escolas particulares é de 90%. Já se percebe aqui um dos maiores desafio da inovação no setor.

 

“A boa notícia é que nesse mesmo período o mundo digital entrou finalmente nas escolas, que os professores passaram a buscar novas formas de ensinar, novas metodologias e ferramentas e também podemos ver um movimento global de editechs preocupadas em sanar essa situação lastimável. Nesse sentido, o choque que sofremos foi enorme, porém, a força empregada para ajustar as coisas é muito maior, no sentido que os efeitos da pandemia irão passar, enquanto as soluções que surgiram e surgirão a partir de então permanecerão além dela. Temos muito trabalho para equilibrar as coisas, mas com certeza elas serão equilibradas com soluções que tornarão a educação muito mais inclusiva e próxima da realidade do jovem do século XXI.”

(Sapientia)

 

Identificando problemas

 

Nesse cenário, as empresas foram capazes de identificar problemas, para atuar, buscar soluções e inovar no setor.

O pessoal da Ludbel Educar, por exemplo, identificou uma oportunidade de inovação no sistema educacional brasileiro.

Equipe Ludbel Educar

“A Educação Proposta na LDB de 96 discorre sobre o principal objetivo da educação que é garantir meios para que a população consiga o pleno exercício de sua cidadania. A educação básica deve direcionar a atuação cidadã, mas não é difícil perceber a dispersão dos estudantes, que muitas vezes saem das escolas sem o menor discernimento sobre o mundo. Os estudantes não conseguem perceber relações claras entre as temáticas vistas em aula com a própria vida, isso se deve a diversos fatores e entre eles estão a falta de ferramentas adequadas para se atingir efetivamente educando e educador no processo de se apaixonar por aprender e a ensinar.”

 

Os profissionais do Sapientia encontraram no processo de avaliação um problema e uma solução.

Equipe Sapientia

Para a gente, identificar o problema de se realizar uma avaliação processual efetiva se deu na prática de sala de aula. O criador da plataforma é professor de uma escola integral da rede pública da Paraíba, e, assim que houve a mudança para o formato de escola integral, surgiram novas demandas que as avaliações tradicionais não resolviam. Como avaliar uma eletiva? Ou projeto de vida? Estudo Orientado? Soma-se a isso uma discussão já bastante antiga levantada pelos teóricos que discutem avaliação processual. Pedro Demo, Libâneo, Luckesi, entre outros, sempre falaram da necessidade de ser efetuada uma avaliação processual individualizada dos estudantes. O grande desafio consistia na realidade da maioria dos professores do Brasil: sobrecarga de turmas e de alunos para conseguir monitorar e avaliar. Era a situação enfrentada pelo criador do Sapientia, além das novas demandas do formato integral., foi a partir dessas dores que ele, junto a outro sócio, decidiu criar uma plataforma gamificada de avaliação processual. O elemento de gamificação veio suprir a falta de engajamento dos estudantes, muitas vezes cansados e desmotivados. A junção das duas coisas resolveu tanto o problema do professor em relação a capacidade de avaliar de forma processual uma quantidade grande de turmas e alunos, como também possibilitou o engajamento dos jovens nas aulas.

 

A Lume Design e a Cuboteca foram ideias que sugiram através da pesquisa cientifica.

 

Equipe Lume Studio Design

O problema foi identificado por meio de pesquisa científica que iniciou no Mestrado de Design de Inovação e agora continua com o Doutorado em Tecnologia Educacional. Onde, de acordo com pesquisas recentes (OCDE, 2018) do Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes – PISA, demonstra que o desempenho dos brasileiros em literatura, não mudou muito desde 2019. E 50% dos alunos, chegam aos 15 anos sem as competências mínimas de interpretação de texto.

(Lume Design)

 

“Primeiramente da pesquisa cientifica que nós desenvolvemos na Universidade do Vale do Itajaí surgiu a ideia do negócio que foi a Cuboteca: letramento de crianças surdas, que é um ambiente de simulação baseado em realidade virtual com interface natural, é baseado em dispositivos que capturam o movimento das mãos.”

(Cuboteca)

Mudando a mentalidade para inovar

 

Ao inovar um processo ou um serviço, muitas vezes, velhos métodos e costumes permanecem, criando barreiras a grandes transformações, simplesmente pelo medo de sair da zona de conforto. Na educação não é diferente! A inovação, principalmente em escolas de zona rural e das periferias dos grandes centros, pode não ser vista a partir de todo seu potencial. Mas, como mudar esse Mindset (mentalidade) rumo à inovação?

 

Acho que a grande mudança de mindset que leva à inovação, é aceitar que não temos respostas para tudo. Pois, a grande questão da inovação é experimentar. Se estivermos dispostos a tentar, as chances de inovar com certeza aumentam.

(Lume Design)

Yuval Harari, em 21 lições para o século XXI, já nos alerta que devemos nos habituar com mudanças. Ele fala que dificilmente teremos, nessa geração, uma pessoa que entre em uma profissão e vá até o final da vida nesta mesma profissão, como era bem comum nas gerações anteriores. Isso porque o mercado está cada vez mais dinâmico, as profissões estão em constante transformações e as pessoas também. Ele diz que em breve empregos que hoje empregam bastante pessoas, como atendentes de telemarketing, por exemplo, em poucos anos não existirão mais, pois uma única inteligência artificial dará conta do serviço. Essa realidade não está tão distante, os atendentes virtuais estão cada vez mais presentes nas experiências do usuário junto a uma empresa. Então, é preciso ter essa abertura de mentalidade, essa capacidade de renovação. É uma exigência do contexto histórico e quem não entender muito bem isso, poderá ser engolido pelo movimento. Estar atento, aberto e otimista é sempre algo necessário para o empreendedor dos dias atuais.

(Sapientia)

 

Como é inovar na educação?

 

As empresas entrevistadas responderam: Como está sendo sua jornada na inovação no campo da educação?

 

“Desafiadora e gratificante. Desenvolvemos ferramentas educacionais que promovem o engajamento do professor e alunos em sala de aula, que aproximam alunos do educador e estimulam educando em seu despertar para o conhecimento com propósito cidadão. Nosso primeiro produto educacional é um jogo que foi desenvolvido em sala de aula, ouvindo a geração Z. O jogo foi usado em turmas do ensino fundamental e médio na cidade de Macapá desde 2018. Com o apoio do centelha nosso produto adquiriu maturidade e hoje pode ser encontrado em São Paulo e Minas Gerais também. É um desafio trabalhar por uma educação significativa, mas muito gratificante observar as fronteiras que estamos atravessando nos últimos meses.

(Ludbel Educar)

“Não tem como responder essa questão sem lembrar como foi a jornada da equipe no desenvolvimento do conhecimento que permitiu hoje a gente tocar a Xr,  desenvolvendo produtos. Cada produto que a gente desenvolve e vemos um jovem utilizandoum jovem utilizando…e ele está produzindo um aprendizado, isso é a nossa maior motivação. Todo aquele conhecimento que a gente conseguiu desenvolver ao longo dos anos foi transformado num produto e esse produto foi pra um jovem em questão e ele aprendeu algo com aquilo, então não vejo como desfocar a inovação da educação sem você proporcionar para alguém um aprendizado baseado numa ferramenta qualquer, tanto analógica quanto digital, baseado no conhecimento que você desenvolveu ao longo dos anos, então aquilo que você recebeu você está depositando naquele produto e ele está ajudando alguém…”

(Cuboteca)

  

E o futuro como fica?

 

Pensar no futuro é essencial para inovar. As empresas convidadas responderam qual é a visão sobre o futuro da educação.

 

Creio que o a tecnologia exercerá um papel ainda mais fundamental na educação nos próximos anos e que a maior prioridade deverá ser a recuperação do tempo perdido.

(Lume Design)

 

A educação é a arma mais poderosa para quem nasceu sem condições, é ela quem permite que a pessoa saia de uma condição de vulnerabilidade para outra condição mais acolhedora. Somente através da educação será possível atingir uma sociedade mais empática, tolerante, que respeite as diversidades, que entenda os mecanismos de poder e que consiga desconstruir estruturas seculares de exploração, racismo, intolerância religiosa e o machismo. […] Por fim, a educação também é quem vai permitir que nos orientemos em relação aos problemas climáticos que estão gritando aos nossos olhos, mas que insistimos em não enxergar. Conhecer outras formas de organização social, como os povos originários da América, por exemplo, é entender que a maneira como vivemos não é a única possível. A educação para os próximos anos precisa levar em consideração todos esses fatores, a defesa do conhecimento e da ciência, o reconhecimento de fake news, o aumento das desigualdades e todas as questões ambientais. Ela deve ter um olhar mais cuidadoso com as diversidades e fazer do paradigma indígena o paradigma do século XXI, caso contrário, não teremos século XXII para contar história.

(Sapientia)

A educação transforma a vida das pessoas. Se você tem uma ideia que pode revolucionar esse campo, não perca a chance de inovar com o Programa Centelha e venha transformar a sua ideia em um negócio de sucesso!

 

Confira os editais abertos em: programacentelha.com.br

 

Quer conhecer melhor essas empresas?

Clique e confira!

LUDBEL EDUCAR

CUBOTECA

LUME STUDIO DESIGN

SAPIENTIA

 

 

 

 

 

Prorrogadas as inscrições da primeira edição do Programa Centelha Distrito Federal

A BIOTIC S/A, empresa pública gestora do Parque Tecnológico de Brasília – BIOTIC, informa que o prazo de submissão de ideias para o Programa Centelha DF foi prorrogado até o dia 15 de fevereiro de 2022. 

Em sua primeira edição, o programa tem previsão de investimentos de R$ 1,6 milhão e selecionará 28 projetos, os quais serão contemplados com até R$ 60.000,00 em subvenção econômica (recursos não reembolsáveis).

O objetivo do programa é estimular o empreendedorismo inovador e a geração de empresas de base tecnológica a partir da transformação de ideias inovadoras em empreendimentos que incorporem novas tecnologias aos setores econômicos estratégicos do Distrito Federal por meio da concessão de recursos de subvenção econômica.

Os interessados em participar da seleção de ideias do Programa Centelha Distrito Federal devem se inscrever até 15 de fevereiro no site https://programacentelha.com.br/df.

Eventuais dúvidas deverão ser enviadas em https://www.helpdeskcentelha.com.br/.

Programa Centelha 2 chega ao Amazonas com o objetivo de selecionar até 50 projetos empreendedores

Projeto apoiará as empresas selecionadas com até R$ 60 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico

Com o principal objetivo de estimular o empreendedorismo inovador, o Programa Centelha 2 está com inscrições abertas no Amazonas até o próximo dia 11 de janeiro de 2022. Em sua segunda edição, a iniciativa oferecerá recursos financeiros, capacitação e suporte para transformar novas ideias em negócios de sucesso. A expectativa é que até 50 projetos sejam selecionados e os contemplados serão apoiados com até R$ 60 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico.

Promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação CERTI, no Amazonas, o Programa é executado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM).

De acordo com Márcia Perales Mendes, Diretora-Presidente da FAPEAM, é uma alegria e um grande desafio trazer mais uma edição do Programa Centelha ao Amazonas. “É necessário uma articulação de todo o ecossistema de inovação. Precisamos que as pessoas ousem e encaminhem ideias maravilhosas. Desejo a todos os envolvidos muito sucesso”, finaliza.

Em sua primeira edição, o programa contou com mais de 15 mil ideias submetidas nacionalmente e mais de 1 mil municípios envolvidos. Somente no Amazonas foram mais de 2,4 mil empreendedores capacitados, 964 ideias submetidas e 18 empresas apoiadas. Neste ano, o Programa Centelha 2 acontecerá em 25 Estados e no Distrito Federal.

Para mais informações sobre o edital, o cronograma e todas as informações para submissão, confira https://programacentelha.com.br/am/.

INFORMAÇÕES À IMPRENSA

OLIVER PRESS / (11) 3034-0743 / 3031-1793

Juliana Oliveira – (11) 98398-5305 – juliana@oliverpress.com.br

Patricia Hidaka – (11) 988110052 – patricia@oliverpress.com.br

Raquel Cruz – (11) 99883-0091 – raquel@oliverpress.com.br

Elaine Tessarolo – (11) 99996-7938 – elaine@oliverpress.com.br

Luna Oliva – (13) 99674-6505 – luna@oliverpress.com.br